IMPOSTÓMETRO

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Resultado de uma parte da Audiência do dia 20 de out 15, com o Ministro da Defesa e os 3(três) Comandantes das Forças Armadas

Resultado de uma parte da Audiência do dia 20 de outubro de 2015 com o Ministro da Defesa e os 3(três) Comandantes das Forças Armadas sobre os baixos salários da Força e outros.
Dep Federal Cabo Daciolo e Dep Federal Izalci se destacando
video
video

terça-feira, 19 de maio de 2015

Audiência Pública com o Ministro da Defesa na Câmara dos Deputados

Assunto: Implementação da Política Nacional de Defesa, da Estratégia Nacional de Defesa e do Livro Banco da Defesa, entre outros o baixo salário pago aos Militares das Forças Armadas.


Major comete suicídio dentro de quartel em Feira de Santana

Um major do Exército Brasileiro cometeu o suicídio na manhã desta terça-feira (19), em Feira de Santana. 
Segundo informações, Alexsandro Ribeiro da Silva, 41 anos, tirou a própria vida no interior do 35º Batalhão de Infantaria, bairro 35 BI.
Segundo informações da polícia, o militar deflagrou um tiro no peito.O tenente-coronel Paulo Sérgio Brito (foto), comandante do 35º BI, informou que o major veio de Crato (CE), no mês de janeiro para o batalhão de Feira, e na manhã de hoje não saiu do alojamento para participar das atividades do dia. Momento depois, foi ouvido o estampido e ele foi encontrado morto.
O levantamento cadavérico foi presidido pelo delegado Laércio dos Santos, acompanhado do coordenador regional, João Uzzum. O corpo foi encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) para ser necropsiado.

Fonte: Blog Central de Polícia

terça-feira, 12 de maio de 2015

Falha pode levar 15 mil militares dispensados para a ativa

'A Aeronáutica não deu baixa dos praças no MTE e a dispensa prescreveu. Por isso queremos voltar',disse Carlos Lacerda, presidente da Anese
Os 15 mil militares dispensados pela Aeronáutica entre os anos de 2001 e 2007 podem voltar à ativa
Foto:  Paulo Araújo / Agência O Dia

“A Aeronáutica não deu baixa dos praças no MTE e a dispensa prescreveu. Por isso queremos voltar”,disse Carlos Lacerda, presidente da Anese, que reúne os soldados especializados. O conselheiro legislativo militar da Anese Luiz Carlos Oliveira explica que para demitir, a Aeronáutica precisa divulgar em Diário Oficial e em publicações, o que não teria ocorrido. 

“Além disso, a administração tem um ano para informar a dispensa ao Ministério do Trabalho e cinco anos para finalizar o ato. Mas já se passaram 15 anos desde a primeira demissão dos soldados especialistas”, ressaltou. 
Os ex-soldados especializados entraram por meio de concurso público. Luiz Carlos diz que a Aeronáutica utilizou uma lei destinada aos outros soldados do serviço militar para dispensar os especializados, que tinham outro regimento.

NA ILEGALIDADE 
Carlos Lacerda conta o martírio para viverem na legalidade. “Estamos com problema ao abrir empresa, fazer concurso, pedir empréstimo ou auxílio doença, porque aparece duplo vínculo empregatício. E terei problema para me aposentar”, desabafa. Eles são concursados, mas alegam que foram demitidos através do regimento dos outros soldados.

NA LUTA DESDE 2008 
Desde 2008, um ano após o término das dispensas na Aeronáutica, os ex-soldados especializados tentam mostrar na Justiça a ilegalidade da demissão e o rombo com a multa não paga, que pode chegar a R$ 10 bilhões. Eles falaram com parlamentares (até com o vice-presidente Michel Temer) e esperam que o caso seja resolvido o mais rápido.

SEM INTERFERÊNCIA
A Secretaria de Gestão Pública (Segep) do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão informa que o cancelamento da impressão de contracheques elimina custos com papel e geraeconomia aos cofres públicos. O cancelamento da entrega dos contracheques pelos Correios não interfere no recebimento.

CRIAÇÃO DE E-MAIL 
A única consequência da nova medida, para servidor, aposentado ou pensionista, será que, sem criar uma conta de e-mail e sem cadastrar esse endereço eletrônico no Sistema Integrado de Administração de Recursos Humanos (Siape), não será possível visualizar o comprovante de rendimentos pela internet.

NOVOS CARGOS 
A Comissão de Constituição e Justiça e de Cid</MC>adania da Câmara aprovou projeto de lei do MPU que reestrutura as carreiras dos seus servidores, com novos cargos e salários. O texto segue para o Senado. Os vencimentos de analista vão variar de R$ 7.323 a R$ 10.883. Os de técnico vão ficar entre R$4.363 e R$ 6.633 para o setor.

REAJUSTES DE 15% 

O salários de auxiliar do MPU também são reajustados, mas a carreira passará a constituir quadro em extinção, devendo os cargos ser extintos à medida que vagarem. O projeto também prevê reajustes de 15% para as funções de confiança, e reajustes entre 5,3% a 25% na remuneração dos cargos em comissão.

Fonte: O DIA

sexta-feira, 8 de maio de 2015

População desarmada e bandidos armados, este é o resultado.

Brasil lidera em número de homicídios, mostra ferramenta virtual
O País registrou 29 mortes violentas a cada 100 mil habitantes, número quase cinco vezes maior do que o índice mundial

Homicidio_Shutter_483x303.jpg
 O Brasil é líder mundial em números absolutos de homicídios e ocupa o 11º lugar do ranking considerando o índice de assassinatos a cada 100 mil habitantes. Com 56.337 homicídios ocorridos em 2012, o país registrou 29 mortes violentas a cada 100 mil habitantes, número quase cinco vezes maior do que o índice mundial (6,2). As estatísticas fazem parte do Observatório de Homicídios, plataforma de visualização de dados online lançada nesta quinta-feira, 7, pelo Instituto Igarapé, organização sem fins lucrativos com sede no Rio de Janeiro.
Por meio de um globo tridimensional, o site reúne informações de 215 países e territórios, entre os anos de 2000 e 2012. Honduras (85,5), Venezuela (53,7), Ilhas Virgens Americanas (52,6), Belize (44,7) e Jamaica (40,6) lideram o ranking global com os maiores índices de homicídios para cada 100 mil habitantes. Em números absolutos de assassinatos, atrás do Brasil aparecem Índia (43.355), Nigéria (33.817), México (25.967) e República Democrática do Congo (18.586).
Para 39 países da América Latina e do Caribe, a ferramenta também exibe dados discriminados para cada estado e para cidades com mais de 250 mil habitantes. Entre as 50 cidades com maiores índices de homicídios na região, 22 estão no Brasil, incluindo capitais como Maceió (AL), Fortaleza (CE), João Pessoa (PB) e Salvador (BA).
"Temos cidades que alcançaram níveis estapafúrdios, com taxas de homicídios superiores às registradas em zonas de conflito. É sinal de que há algo errado e que algo precisa ser feito", disse Renata Giannini, pesquisadora do Igarapé e coordenadora do projeto.
No Brasil, a cidade que lidera o ranking de homicídios é Ananindeua, a 19 quilômetros de Belém, no Pará, com 125,6 assassinatos a cada 100 mil habitantes. Em segundo lugar aparece Maceió (AL) com índice de homicídios de 89,9, seguida por Serra (ES) com 89,4, Camaçari (BA) com 81,8 e Fortaleza (CE) com 76,8. O Rio de Janeiro ficou na 71ª posição e São Paulo na 88ª.
Alagoas é o estado com maior índice de homicídios, com 64 assassinatos a cada 100 mil habitantes, enquanto Santa Catarina tem o menor índice (12,8).
Embora tenha apenas 8% da população mundial, a América Latina e o Caribe concentram 33% do número de homicídios globais. Para cada cinco pessoas assassinadas no mundo, uma era brasileira, colombiana, mexicana ou venezuelana. "Há uma curva ascendente nos homicídios na América Latina, enquanto no restante do mundo os números vêm caindo. De fato passamos por uma epidemia de violência global", afirmou Renata.
Os números, no entanto, não consideram mortes diretamente relacionadas com operações militares, conflitos armados ou guerras, seguindo o critério adotado pelo Escritório das Nações Unidas para Drogas e Crime (UNODC).
Para os países em que há dados disponíveis, o Observatório de Homicídios também informa estatísticas sobre o gênero e idade das vítimas, além da arma utilizada no assassinato. No Brasil, aproximadamente 92% das vítimas eram homens e 54% tinham entre 15 e 29 anos, sendo o homicídio a principal causa de mortes entre pessoas nessa faixa etária. Em todo o mundo, foram registrados 437 mil homicídios em 2012, sendo 78,7% das vítimas homens.
Em nota, a secretária nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça, Regina Miki, afirmou que "ações como essa ajudam os governos na sensibilização sobre o tema e na formulação de políticas públicas. A redução de homicídios é prioridade para a União, especialmente nas ações de segurança pública".
Fundado em 2008, o Instituto Igarapé atua nas áreas de segurança, política sobre drogas e cooperação internacional. A principal fonte de dados utilizada no desenvolvimento do Observatório de Homicídios foi o Escritório das Nações Unidas para Drogas e Crime (UNODC), além dos governos e organizações não governamentais locais.

O Observatório de Homicídios pode ser acessado pelo seguinte: 
link: http://homicide.igarape.org.br/index.htm

sábado, 2 de maio de 2015

ALERTA!!!! Enquanto o Brasil não tiver seu próprio Satélite, ele poderá ser monitorado por qualquer país

Nossas telecomunicações, celulares, computadores, rádios, dados pessoais, tudo pode ser monitorado e sem proteção alguma enquanto o Brasil não tiver seu próprio Satélite.

sexta-feira, 1 de maio de 2015

CONVOCAÇÃO pelo Deputado Federal Cabo Daciolo

video
Prestem atenção no vídeo

PM substitui Exército em mais quatro comunidades da Maré, no Rio


Ação teve início com cerco às comunidades por volta das 22h desta quinta.
Esta é a 2ª etapa do processo de substituição da Força de Pacificação.

Alba Valéria Mendonça

Do G1 Rio

Começou na madrugada desta sexta-feira (1º) a substituição da tropa da Força de Pacificação do Exército pela Polícia Militar em mais quatro comunidades do Conjunto de Favela da Maré, na Zona Norte do Rio. Esta é a segunda etapa do processo de transição, com a ocupação das favelas de Nova Holanda, Parque União, Rubem Vaz e Nova Maré. Até o início da manhã não havia registro de confrontos na região.

Na primeira etapa, realizada em 1º de abril, foram ocupadas pela PM as comunidades da Praia de Ramos e Roquette Pinto (confira, no final da reportagem, o infográfico com as três etapas do processo).

De acordo com a PM, por volta das 22h desta quinta-feira (30) foi feito um cinturão de segurança nos acessos às comunidades da Maré, com baseamento em sete pontos. O policiamento na Avenida Brasil, Linha Amarela e Linha Vermelha, vias expressas que margeiam o Conjunto de Favelas, também foi reforçado. Por volta das 6h já era possível encontrar policiais militares nos principais acesssos das comunidades.
Os militares do Exército serão substituídos, nas quatro comunidades por 369 policiais do 22º BPM (Maré). A ação é reforçada por homens do Grupamento Tático de Motociclistas (Getem). Segundo a PM, estão previstas ainda operações do Batalhão de Operações Especiais (Bope), do Batalhão de Choque (BPChoque), do Batalhão de Ações com Cães e do Grupamento Aeromóvel (GAM).

O governo do estado destacou que os policiais que passam a ocupar as comunidades da Maré estão sendo preparados desde novembro do ano passado.

Transição da ocupação da Maré será em três etapas (Foto: Matusael Jorge / Ministério da Defesa / Divulgação)

Instalação de UPP


Serão criadas quatro bases da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Maré. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, a primeira será instalada na Praia da Ramos/ Roquette Pinto; a segunda nas comunidades de Nova Holanda/ Parque União; outra será responsável pela Baixa do Sapateiro/ Timbau. A última ficará a cargo da Vila do João e da Vila dos Pinheiros.


As quatro bases deverão contar com cerca de 1.620 homens. O relações públicas da Polícia Militar, coronel Frederico Caldas, destacou que esse número poderá sofrer alteração de acordo com as necessidades da região.

Em 1º de abril, quando a PM substituiu a Força de Pacificação nas comunidades da Praia de Ramos e Roquete Pinto, o coronel Caldas destacou as expectativas da ocupação de Conjunto de Favelas da Maré enfatizando que há, nas comunidades, um “clima de pessimismo” quanto ao processo de pacificação. Segundo ele disse na ocasião, “se der errado, vai todo mundo para o buraco. Vai para o buraco a polícia, a sociedade, vai todo mundo", avaliou.

Ocupação pelo Exército

A Força de Pacificação do Exército começou a ocupar o Conjunto de Favelas da Maré no dia 30 de março do ano passado. A entrada das forças de segurança no conjunto de favelas começou às 5h e durou 15 minutos. Não houve confronto neste primeiro ato.

O Conjunto de Favelas da Maré tem área de 7 km², às margens da Baía da Guanabara, e abriga cerca de 140 mil habitantes. O complexo é formado pelas favelas Praia de Ramos, Parque Roquete Pinto, Parque União, Parque Rubens Vaz, Nova Holanda, Parque Maré, Conjunto Nova Maré, Baixa do Sapateiro, Morro do Timbau, Bento Ribeiro Dantas, Vila dos Pinheiros, Conjunto Pinheiros, Conjunto Novo Pinheiro – Salsa & Merengue, Vila do João e Conjunto Esperança.

Balanço

De acordo com o governo do estado, foram realizadas 65 mil ações na Maré desde a ocupação pelas Forças Militares até o dia 29 de março deste ano. Os 16,7 mil militares que atuaram na Garantia de Lei e Ordem (GLO) efetuaram 467 prisões por crime comum e outras 116 por crime militar. Foram recolhidos 228 menores.

Entre as apreensões, foram 521 de drogas, 54 de armas, 119 de munições (3692 cartuchos), 56 veículos e 87 motocicletas. Mais de 2,2 mil denúncias foram feitas pela população ao Disque Pacificação.