sábado, 29 de dezembro de 2012

Soldados do Exército entram na guerra contra a dengue em Corumbá

Por Mariana Anunciação com assessoria

Em parceria com a Prefeitura de Corumbá, o Exército Brasileiro vai disponibilizar um grupo de militares para auxiliar as equipes do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), na mega ação de combate à dengue, desencadeada no final de novembro na cidade.

A participação dos soldados já era aguardada pela Secretaria de Saúde e, a partir do dia 7 de janeiro de 2013, eles auxiliarão os agentes de endemias nas visitas domiciliares, para um trabalho preventivo e educativo.

A confirmação da participação dos soldados do Exército Brasileiro foi feita no final da tarde de quinta-feira (20), pela coordenadora geral de Vigilância em Saúde da Prefeitura, médica veterinária Viviane Ametlla. Conforme ela, a presença dos militares será importante e vai facilitar o trabalho junto com a população, principalmente pelo fato de que as forças militares têm um prestígio enorme na região.

Os soldados vão reforçar as equipes do CCZ da cidade, que já conta com mais 50 agentes de endemias que foram empossados agora em dezembro. São novos servidores públicos aprovados no concurso de novembro de 2011, que foram convocados pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT), para reforçar os trabalhos contra a dengue, visando evitar uma epidemia na cidade.

Outra informação da coordenadora é que a partir do dia 3 de janeiro, o CCZ inicia um novo Levantamento Rápido de Índice de Infestação por Aedes aegypti ( LIRAa), trabalho que vai nortear as ações de combate ao mosquito transmissor da dengue na região urbana de Corumbá. Será o primeiro levantamento de 2013. No último, realizado em novembro, apontou uma incidência de 2,2% de infestação predial na cidade.

Investimentos

Além do aumento de contingente, com participação de todas as pastas da administração pública, de parceiros, de empresa contratada, a Prefeitura está aplicando mais de R$ 1,3 milhão na operação, além de outros R$ 350 mil para aquisição de caixas d’água para atender famílias de baixa renda.

Os recursos foram anunciados pelo prefeito da cidade, no lançamento da mega operação, e serão aplicados até o mês de março de 2013. Os trabalhos foram iniciados com visitas domiciliares e com um grande mutirão de limpeza em toda a área urbana da cidade, inclusive em terrenos baldios e imóveis fechados.

“Todas as providências foram tomadas para esta grande ação, inclusive com o envolvimento das mais diferentes pastas da Administração Municipal, para tentarmos minimizar os problemas de saúde causados pela dengue”, afirmou o prefeito, destacando que a “Mega Ação em Favor da Saúde e da Vida” é resultado de “um projeto grandioso”.

Ruiter explicou ainda que, “por se tratar de uma questão social, buscamos apoio financeiro junto ao Fundo Municipal de Investimento Social (FMIS) e tivemos resposta imediata com a aprovação de R$ 1,3 milhão para aplicação nas ações imediatas”.

Além disso, o Comitê do FMIS apoiou também a aquisição de caixas d’águas para atender cerca de três mil famílias de baixa renda na cidade, com a destinação de até R$ 350 mil para compra destas caixas. A Sanesul ficou com a condição de realizar a instalação para o adequado abastecimento residencial.

Estas caixas d’água serão fundamentais para eliminar um dos maiores problemas existente na cidade, que tem elevado os índices de infestação domiciliar do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. Os reservatórios a nível de solo contribuem para o surgimento de focos da doença. Levantamentos apontam que, pelo menos 90% dos focos estão nestes locais.

Fonte: MidiaMax/montedo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário