quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013


 
Amigos,

A posição das FFAA é regida pela Carta Magna! O clamor popular deve ser atendido de imediato. O povo é soberano nisso. Nenhum comandante poderá se negar a fazê-lo e os "contaminados", automaticamente são afastados, investigados e punidos severamente.

 Sem clamor popular não há intervenção, porque caracterizaria golpe de estado.

 O momento é este e, se deixarmos passar, estamos condenando nossas famílias, todo o povo, os padrões morais e a cultura brasileira.

 Vale ressaltar que mortos e desaparecidos durante o regime foram os envolvidos com a luta pela implantação do comunismo. Sempre existirão as alegações de inocentes atingidos. Basta questionar um bandido ou sua família e teremos sempre a mesma resposta - Ele é inocente!

 Linha dura é a única linguagem entendida pelos comunas. Tente pedir licença a um petralha para expor sua opinião! Ele vai te atropelar e repetir as palavras chave como um papagaio. E você jamais irá convencê-lo de alguma coisa. É como aquela estória de jogar xadrez com um pombo - ele vai espalhar as peças, defecar no tabuleiro e sair voando cantando vitória.

 Perdemos nossa única arma - O VOTO - pois as urnas estão programadas e vulneráveis. Ficou provado com a reportagem daquele racker que, na hora de transmitir os resultados para o TRE, eles saem do jeito que foram programados e elegem quem eles querem. Lembre-se que a transmissão foi feita utilizando-se a "Oi" do lulinha. A população está desarmada e as facções estão até os dentes de armas.

 Só temos as FFAA para promover a transição que buscamos e, é óbvio, terão que deter o poder com linha dura e mãos de ferro para promoverem a limpeza pesada. Quanto a condições (armas e munições) já sabemos que existem.

 Para cumprir a brevidade, poderíamos citar mais um livro de motivos e justificativas aqui, mas sabemos que todos já conhecem as principais e sabem, também, que será impossível uma transição pacífica.

 Mãos à obra, amigos!

 E que DEUS nos ilumine, permitindo-nos a VITÓRIA.
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário