quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Exército apura DENÚNCIAS DE CORRUÇÃO. Oficiais envolvidos teriam exigido PROPINA para adquirir material.

Segundo notícias divulgadas essa semana uma empresa do Paraná afirma que oficiais do Exército pediram propina para referendar a vitória numa licitação. Segundo reportagem da revista "Veja", a cobrança de dinheiro foi feita ao Grupo Mascarello, fabricante de ônibus.
 
Sob a promessa de liberar pagamentos referentes à venda de 65 ônibus para o Batalhão da Guarda Presidencial, os oficiais exigiram 5% dos R$ 17,8 milhões da concorrência vencida pela Mascarello.
 
Em junho do ano passado, a presidente Dilma Rousseff lançou um programa bilionário com o objetivo de modernizar o aparelho estatal e, de quebra, estimular a economia, que já caminhava a passos lentos àquela altura. Batizado de PAC Equipamentos, esse pacote previa a liberação de 8,4 bilhões de reais para a compra de materiais e maquinário pelos ministérios - incluindo a pasta da Defesa e as forças militares a ela vinculadas, sempre queixosas de um quadro de sucateamento a que estariam submetidas.
 
Ao contrário do que ocorre em outras modalidades do PAC, o novo projeto saiu do papel. Só o Exército gastou 1,8 bilhão de reais em caminhões, veículos blindados e até lançadores de mísseis. Mas, como é, infelizmente, praxe nas empreitadas civis, a corrupção parece ter encontrado uma brecha na esfera militar. Oficiais do Exército estão sendo investigados por terem sido acusados de achacar empresários que venceram licitações para fornecer equipamento à força terrestre.
 
Eles teriam exigido propina em troca da assinatura dos contratos. Reproduziram, assim, um modelo de desvio de verba pública que foi consagrado recentemente nos ministérios dos Transportes e do Trabalho. Resta saber se, como os ministros demitidos daquelas duas pastas, os oficiais corruptos serão responsabilizados. A presidente Dilma Rousseff já determinou a abertura de uma sindicância para apurar o caso, que está sendo investigado sigilosamente pelo alto-comando do Exército.
 
Dados de: http://tnonline.com.br/noticias/politica/4,167893,08,02,exercito-investiga-pedido-de-propina-de-oficiais-diz-revista.shtml.

Nenhum comentário:

Postar um comentário