quinta-feira, 27 de junho de 2013

SP: em meio a protestos, grupo pede volta de militares ao poder

Com faixas, grupo de mascarados pedia a saída da presidente Dilma Rousseff e o retorno dos militares ao governo do País

Manifestantes pedem o retorno dos militares ao poder em protesto na avenida Paulista, em São PauloFoto: J. Duran Machfee / Futura Press


Em meio aos protestos motivados por diversas razões, nesta quarta-feira, em São Paulo, um grupo concentrado no vão-livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), na avenida Paulista, por volta das 17h40, levou faixas pedindo a saída da presidente Dilma Rousseff da presidência, e desejando o retorno dos militares ao poder. “Queremos os militares novamente no poder”, dizia uma das faixas carregadas por um grupo de mascarados, que também traziam frases como "PT nunca mais".

De acordo com a Polícia Militar, grupos distintos realizaram protestos nesta quarta-feira na capital paulista. Uma das manifestações é contrária ao Ato Médico, outra ao projeto apelidado de “cura-gay” e outra pedia a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o transporte público na cidade. Até as 20h, apenas o último havia se encerrado.

Segundo a Companhia de Engenharia de Trânsito (CET) de São Paulo, o grupo que protesta contra o Ato Médico se concentrou por volta das 17h na praça Roosevelt, no centro da capital paulista. Eles saíram em passeata pela rua da Consolação por volta das 18h15, e o trânsito no sentido centro ficou interditado a partir da altura da rua Dona Antônia de Queirós. 

O grupo retornou no sentido contrário, ocupou a rua Haddock Lobo por volta das 19h10 e, às 20h10, se encontrava na rua Pamplona, próximo à avenida Paulista. Há bloqueio no trânsito no local, mas a via não foi interditada. 

Outra manifestação, contrária ao projeto chamado de cura-gay e ao presidente da Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Câmara dos Deputados, Pastor Marco Feliciano (PSC-SP), se concentrou no Masp e partiu em caminhada pela avenida Paulista. O trânsito ficou totalmente interditado no sentido Paraíso, mas, às 20h20 já estava liberado. A CET não informou por quanto tempo a via ficou fechada. 

O grupo desceu a avenida Brigadeiro Luís Antônio e se encaminhou a sede do PSC, partido de Feliciano. A faixa da direita da via, sentido bairro, foi ocupada pelos manifestantes, assim como duas faixas do sentido centro. Apesar do bloqueio, o tráfego de veículos não foi interrompido. 

Segundo a PM, os manifestantes tinham a intenção de iniciar a passeata até a sede do PSC às 20h. Às 18h50, porém, o grupo iniciou a caminhada até o local. 


Fonte: terra.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário