terça-feira, 30 de julho de 2013

Marinha desiste de suspender expediente às sextas

FERNANDA ODILLA
DE BRASÍLIA

Depois de anunciar num comunicado interno que iria reduzir a jornada de trabalho em um dia por semana para cortar gastos e atender à imposição orçamentária do governo, a Marinha recuou da decisão de suspender o expediente às sextas-feiras.

"A Marinha do Brasil esclarece que, em virtude das restrições orçamentárias em curso nesta força, considerou, como uma das medidas de economia a ser adotada, a redução da jornada de trabalho. Após análise subsequente e consonante com as novas tratativas com o Ministério da Defesa, tal medida não será adotada", informou na noite desta terça-feira (30) por meio de nota.


Por determinação do governo federal, que quer economizar um total de R$ 38 bilhões este ano, Marinha, Exército, Aeronáutica e o Ministério da Defesa tiveram bloqueados R$ 4,2 bilhões.

Os cortes na Defesa foram anunciados em duas etapas: R$ 3,6 bilhões em maio e R$ 919 milhões nesta terça. Desse total, a Defesa conseguiu reaver apenas R$ 400 milhões.

De acordo com comunicado interno da Marinha, a partir do dia 2 de agosto, os militares não mais trabalhariam às sextas-feiras, com exceção dos que atuam diretamente nas áreas de saúde, ensino e também com o programa do submarino nuclear. Em caso de feriado nas sextas, a folga seria no dia anterior.

Folha apurou que a Aeronáutica estudava medida similar à adotada pela Marinha. No entanto, a folga da FAB (Força Aérea Brasileira) seria às quartas. O Exército já trabalha meio expediente às sextas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário