quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Concurso da Polícia Civil do Distrito Federal registra 28,5 mil inscritos

Um dos certames que mais despertam expectativa nos que almejam um cargo público terá provas no domingo

Lorena Pacheco
Sílvia Mendonça - Correio Web
Ana Carolina Dinardo

A quatro dias dos exames, marcados para o próximo domingo, é grande a expectativa para o concurso da Polícia Civil do Distrito Federal.

Para que os candidatos se programem com antecedência, o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe/UnB) já divulgou no site www.cespe.unb.com.br/concursos os locais de prova.

A seleção terá início às 14h30, e os 28.472 inscritos terão quatro horas e meia para responder a 120 questões objetivas, além de fazer uma redação. As questões vão abranger língua portuguesa, noções de informática, raciocínio lógico, atualidades, noções de direito — constitucional, administrativo, penal e processual penal —, além de legislação específica e penal extravagante. Os gabaritos serão divulgados a partir das 19h do mesmo dia.

A seleção também conta com teste de capacidade física, avaliação psicológica, sindicância de vida pregressa, investigação social, avaliação de títulos e curso de formação profissional. Estão em jogo 300 postos, o que dá uma concorrência de 94 candidatos por vaga. Além disso, 600 participantes serão selecionados para a formação de cadastro reserva.

Os aprovados receberão salário de R$ 7.890,05 para jornada de 40 horas semanais. Podem participar do certame pessoas com formação superior em qualquer área. É preciso ainda ter Carteira Nacional de Habilitação de categoria B. Preparação Apesar de já ter garantido um posto no funcionalismo público, Danielle Carvalho, 26 anos, sempre sonhou em ser agente da Polícia Civil. O horário de trabalho flexível e o salário a atraíram.

Ela vem estudando desde o começo do ano. “Comecei com os conteúdos básicos e, agora, só estou revisando alguns tópicos”, disse. “Nessa última semana, intensifiquei os estudos de direito penal, pois, como não sou formada na área, estou tendo dificuldade”, contou ela, que dedica seis horas por dia às apostilas e às aulas do curso preparatório.
Fonte: Correio Braziliense

Nenhum comentário:

Postar um comentário