domingo, 12 de janeiro de 2014

Após sumiço de vídeo game, comandante deixa 150 militares detidos no quartel em Manaus

Militares do AM são presos por sumiço de X-Box

A denúncia feita na manhã deste sábado (11) informa que são quase 150 homens detidos desde a tarde de sexta-feira (10) quando foi constatado o sumiço do aparelho e podem permaneçam detidos até o dia cinco de fevereiro se o X-BOX não aparecer
 
Fuzileiros Navais são detidos em quartel após o sumiço de um X-BOX(Divulgação
Manaus (AM) - Após o sumiço de um vídeo-game X-BOX que pertencia ao Comando Geral dos Fuzileiros Navais da Amazônia, na tarde de sexta-feira (10) os militares ficaram detidos no quartel, sem tomar banho e sem local para dormir segundo relatos de amigos e esposas.
A denúncia feita na manhã deste sábado (11) informa que são quase 150 homens detidos desde a tarde de sexta-feira (10) quando foi constatado o sumiço do aparelho e podem permaneçam detidos até o dia cinco de fevereiro se o X-BOX não aparecer.
A esposa de um fuzileiro que preferiu não se identificar temendo retaliações, disse que o marido dela não pôde dormir no alojamento.
“Meu marido está lá e dormiu na chuva. Ele não pode tomar banho porque o banheiro do quartel está em obras e nem dormir no alojamento. Muitos dormiram em baixo da escada para não se molhar”, relata a mulher.
O Comandante dos Fuzileiros Navais da Amazônia, capitão de fragata Rui Eduardo Ferreira, disse que as denúncias não procedem e que está sendo realizado no quartel uma atividade de rotina, o plano de chamada e prontidão.
“Acredito que as esposas fiquem chateadas, mas é algo que já foi programado com antecedência, principalmente nesta época do ano em que as pessoas ficam de férias e tentam invadir o comando para roubar armas, precisamos estar atentos”, explicou Ferreira.
Ainda segundo o capitão, nenhum fuzileiro está detido, apenas estão cumprindo uma atividade já prevista e serão liberados ao fim.
Até a publicação desta matéria, a esposa de outro fuzileiro informou que o comandante após o contato com a imprensa, resolveu liberar os militares, por volta das 11h.

Procedimentos para apurar o furto
Em nota enviada a Acrítica, a Marinha informou que no dia 10 de janeiro, o Comando do Batalhão de Operações Ribeirinhas tomou conhecimento da ocorrência do furto de um video game, modelo X-Box, do Salão de Recreio de Cabos e Soldados. O referido aparelho foi adquirido recentemente pela Unidade no intuito de melhorar, as condições de conforto dos militares nos momentos de lazer a bordo.
E que para localizar o aparelho e identificar o possível autor do furto, toda tropa, além do próprio Comandante, permaneceram a bordo durante o tempo necessário à conclusão dos procedimentos.
Finalizados os referidos procedimentos, a tropa foi então liberada e, como o X-BOX não foi localizado, será aberto um Procedimento Administrativo para a elucidação do fato.
Sobre a questão dos militares terem pernoitado e não poderem dormir nos alojamentos a Marinha informou que ao mesmo tempo em que se apurava o furto, o comando realizou um adestramento para avaliar a capacidade de prontidão, com acionamento de militares que haviam saído de bordo, para que regressassem no menor tempo possível, como em casos de acionamento real, bem como a capacidade de alojamento da tropa.
As deficiências constatadas no adestramento servirão de base para ações futuras visando melhorar as condições de prontidão do Batalhão.
Fonte: A CRÍTICA/montedo.com

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Que fiquem bem claro os malefícios da proibição de se impetrar Habeas Corpus no caso de punição administrativa militar. Esta proibição só deveria existir em tempos de guerra e para militares em curso de formação. Limitar o direito de liberdade de 150 homens, muitos deles pais de família com obrigações fora dos quarteis perante esta, por causa de um vídeo game que deve custar uns R$ 1000,00 é o "cúmulo do absurdo do abuso de poder". Mas para isso deveriam mudar a Constituição e infelizmente nossos políticos não se reúnem para modificar coisas mais sérias e urgente, como a reforma tributária ou política, vão se preocupar com os pobres coitados dos militares que quanto mais modernos forem pagarão a parte mais pesada da conta. Infelizmente só nos resta divulgar a nossa indignação com o descaso à vida, à saúde, à liberdade, em suma... aos direitos humanos... estes sim merecedores deles....

    ResponderExcluir
  3. Cadê o ministério público federal pra punir os responsáveis por essa tortura.

    ResponderExcluir