quarta-feira, 9 de abril de 2014

Salário de MILITARES. Oficiais receberam reajuste, praças não. Polícia.


Salário de MILITARES. Oficiais receberam reajuste, praças não. Polícia. 
“estamos sendo punidos por sermos praças”

   As praças - soldados, cabos, sargentos e subtenentes - da Polícia Militar haviam se reunido na semana passada na Associação dos Policiais Militares da Reserva (Aspomires), no bairro da Pedreira, no centro de Belém, para deliberar as próximas açõesaçõeshttp://cdncache-a.akamaihd.net/items/it/img/arrow-10x10.png da categoria em função da não aprovação da emenda ao Projeto de Lei 34/2014, aprovado ontem na Assembleia Legislativa e que discorre sobre o aumento escalonado, que deve chegar a 110% em 2018, para os oficiais - tenentes, capitães, majores e coronéis. Sugerida pelo deputado Parsifal Pontes (PMDB), a emenda era no sentido de estender o mesmo reajuste ao restante da corporação, sargentos, cabos e soldados.
 
   O presidente da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiros Militares do Estado do Pará (ACSPMBM - PA), cabo Francisco Xavier, não quis adiantar sobre o que deve ser definido, mas informou que a insatisfação é geral na categoria, que conta com 14 mil PMs e 4 mil BMs atualmente, com o ocorrido. “É claro que não estamos satisfeitos com a derrubada da emenda que igualaria os reajustes, parece que estamos sendo punidos por sermos praças. O aumento de 11% que acabou sendo incluído por meio de uma outra emenda ao projeto, para nós, não é nada de novo, o governador já tinha nos prometido isso para 2014”, afirmou.

   Um grande grupo de militares, insatisfeitos com o que consideraram uma discriminação contra as praças, realizou uma manifestação em Ananindeua, causando enorme engarrafamento na rodovia que dá acesso à Belém do Pará.

   Segundo o promotor Armando Brasil, outros soldados, cabos e sargentos envolvidos nos atos também terão a prisão preventiva decretada. "O juiz deve apreciar o pedido nesta terça-feira. Isso vale para integrantes do protesto em Belém e no interior do estado", declarou em entrevista.

   Ainda de acordo com Brasil, os PMs radicalizaram a manifestação. "Eles estão insensíveis. Isso é crime de motim, baseado na Lei Penal Militar, e insubordinação com prejuízo. Essa situação que eles estão passando é uma grave perturbação da ordem pública. O pedido se baseia na necessidade de garantia da ordem pública e da exigência da manutenção das normas e princípios, hierarquia e disciplina militares ameaçados com a liberdade dos militares citados”.

  O governador do Pará alega que o reajuste acumulado já concedido para os praças seria na ordem de 14%, e para os oficiais apenas 11%.

Http://sociedademilitar.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário