quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Já é possível! Professor que descobriu possibilidade de FRAUDE na URNA ELETRÔNICA desenvolve software para celular que pode ajudar a fiscalizar a eleição.

 Diego Aranha demonstrou que a URNA eletrônica atualmente usada e fraudável.  



Com a ajuda da sociedade o professor desenvolveu um software capaz de fiscalizar parte do pleito.

Tudo gira em torno do Boletim de Urna (BU). O BU é o “saldo” que toda urna imprime no final da votação com os totais para cada candidato naquela urna. Depois da impressão os dados supostamente poderiam ser modificados por um bug especialmente implantado para isso.
Veja como funciona o programa desenvolvido para evitar essa fraude.

Clique na imagem

 1. Acabou a votação (17h), o Boletim de Urna deve ser afixado em local público (ex.: a porta da seção eleitoral). Aí começa nosso trabalho!
2. Com o aplicativo para celular que vamos fazer, o eleitor (você!) tira foto do Boletim de Urna e envia para o Você Fiscal.
3. A partir dos boletins de urna enviados, os computadores do Você Fiscal calculam por amostragem um resultado independente e comparam com o oficial do TSE. Quanto mais gente, mais preciso o resultado!
O Você Fiscal não é um projeto voltado apenas às eleições de 2014. Todas as eleições precisam de 1) transparência da administração e 2) envolvimento da sociedade para que sejam honestas e confiáveis. E o Você Fiscal continuará a 1) pressionar por transparência e 2) empoderar a participação da sociedade através de melhores ferramentas e mobilização, incluindo para as eleições seguintes. É uma maratona!
Todo o dinheiro que for arrecadado a mais e não for usado nestas eleições será revertido à continuidade e melhoria do projeto para que tenhamos um impacto ainda maior nas eleições de 2016. Empregar dinheiro bem toma tempo e, dado o tamanho minúsculo da nossa equipe e a proximidade do 5 de outubro, não queremos criar gastos mal pensados nestas eleições apenas para usar todo o dinheiro.
É nossa responsabilidade para com os apoiadores que o projeto tenha o maior impacto possível a longo prazo. Todos sabemos que, passadas as eleições de 2014, o interesse em transparência eleitoral diminuirá drasticamente, e não queremos que o planejamento para 2016 seja de última hora. Por isso, trabalharemos para que a campanha de financiamento coletivo tenha o maior êxito possível, permitindo-nos reinvestir na continuidade do projeto.

Todo o dinheiro que for reinvestido no projeto com vistas às eleições seguintes estará sujeito ao mesmo critério de transparência mencionado anteriormente (extratos públicos e itens justificados).

Veja aqui como ajudar no monitoramento da eleição, veja aqui como colaborar.
Fonte: http://sociedademilitar.com.br     

Nenhum comentário:

Postar um comentário