sábado, 13 de dezembro de 2014

Força Aérea suspende contratos depois de denúncias de propina.

A Força Aérea Brasileira (FAB) decidiu instaurar um IPM  para apurar as denúncias de pagamento de propina a oficiais, em contratos firmados com a empresa americana Dallas Airmotive.  A FAB também resolveu sustar os contratos que estão em vigor com a empresa enquanto transcorrerem as investigações e avisou que os mesmos serão rescindidos caso as denúncias sejam comprovadas.

O departamento de Justiça dos Estados Unidos informou que a Dallas Airmotive pagará US$ 14 milhões de sanção penal por descumprir a lei que pune empresas do país que praticam corrupção no exterior. A empresa admitiu que pagou propina a brasileiros e argentinos em forma de presentes, viagens de férias e pagamentos de forma indireta.

A nota do governo americano diz: A Dallas Airmotive Inc. admite violações da Lei sobre Práticas Corruptas no estrangeiro e concorda em pagar US $ 14 milhões em sanções penais.

Dallas Airmotive Inc., um prestador de serviços de manutenção de motores de aeronaves, reparação e revisão, com sede em Grapevine, Texas, admitiu a violações do “Corrupt Practices Act Exterior (FCPA)” e concordou em pagar uma sanção penal 14.000.000 dólares em penalidade por acusações de ter subornado funcionários de governos da América Latina, a fim de garantir contratos lucrativos. Veja aqui a nata do Governo dos EUA.

A FAB publicou hoje uma nota dando esclarecimentos sobre o caso.

“ A Força Aérea Brasileira (FAB) suspendeu imediatamente a execução dos contratos que mantinha com a empresa Dallas Airmotive até o total esclarecimento das denúncias do Departamento de Justiça dos Estados Unidos. Se as acusações forem comprovadas, a FAB vai rescindir os contratos, com base no artigo 79, inciso XII da Lei 8666/93, buscando inclusive o ressarcimento cabível. A FAB também instaurou um Inquérito Policial Militar para apurar o envolvimento dos acusados, ainda não identificados. Ressaltamos que a FAB repudia atitudes desta natureza e atua firmemente para coibir desvios de conduta de seu efetivo.  Brasília, 12 de dezembro de 2014

Centro de Comunicação Social da Aeronáutica."

http://sociedademilitar.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário