domingo, 8 de fevereiro de 2015

Blindados de Santa Maria vão para o Complexo da Maré

Blindados M113 e militares partiram para o Rio ontem e devem chegar no domingo. Veículos ficarão em missão de patrulha até abril  (Foto Deivid Dutra/A Razão)
Blindados M113 e militares partiram para o Rio ontem e devem chegar no domingo.
Veículos ficarão em missão de patrulha até abril (Foto Deivid Dutra/A Razão)
Comboio levando 13 viaturas e 30 militares partiu ontem para ajudar
na segurança do Rio de Janeiro
      Alessandra Noal
Santa Maria disponibilizará blindados da 3ª Divisão de Exército para dar apoio logístico à Força de Pacificação que atua no Complexo da Maré. Por volta das 8h de ontem, 30 militares e 13 viaturas blindadas saíram da Avenida do Exército, no Bairro Boi Morto, para o Rio de Janeiro. O transporte de viaturas é a primeira fase da missão, coordenada no município, pelo 4º Batalhão Logístico (4° B Log).

Antes de chegar ao destino, os militares devem parar em Criciúma (SC), Curitiba (PR) e Campinas (SP), chegando ao Complexo no domingo. A viagem, de quatro dias, é realizada entre 8h e 18h, pois os militares instalam-se nessas cidades para descanso. Ao todo, somando a ida e a volta, serão percorridos em torno de quatro quilômetros.

A partir do dia 20 de fevereiro, uma equipe composta por, pelo menos, oito militares viaja para a Zona Norte do Rio de Janeiro com o objetivo de fazer a manutenção desses blindados, o que corresponde à segunda fase da missão. O grupo ficará na capital carioca até o final de abril. Ao final da operação, em maio, cerca de 30 militares retornam ao Rio para buscar o comboio de viaturas.

A Operação das Forças Armadas denominada São Francisco compreende patrulhamento, revistas e ações de inteligência, apreensões de armas e de munições, de drogas e de carros e motos roubadas, de produtos falsificados, além de efetuar prisões de foragidos da Justiça e de traficantes de drogas, garantindo o livre trânsito de pessoas e de veículos e o acesso dos serviços essenciais prestados pelo Estado aos moradores, como recolhimento de lixo, serviços comunitários diversos, frequência das crianças e adolescentes aos estabelecimentos de ensino, dentre outros.

O Complexo é composto por mais de 15 favelas, abrigando aproximadamente 140 mil moradores. Ele está sendo ocupado por tropas das Forças Armadas desde abril de 2014.
Fonte: A RAZAO

Nenhum comentário:

Postar um comentário