domingo, 4 de outubro de 2015

Chefe da ONU nomeia o general brasileiro Ajax Porto Pinheiro como comandante da Missão no Haiti

O general de divisão possui mais de 20 anos de experiência militar nacional e internacional e substituirá José Luiz Jaborandy Junior, que faleceu no último dia 30 de agosto.
O coronel Ajax Pinheiro, comandante do Batalhão Brasileiro (Brabatt)  fala durante entrevista coletiva sobre a atuação das tropas brasileiras no país depois do terremoto de 12 de janeiro. Foto: ABr/Marcello Casal Jr.
O coronel Ajax Pinheiro, comandante do Batalhão Brasileiro (Brabatt) fala durante entrevista coletiva sobre a atuação das tropas brasileiras no país depois do terremoto de 12 de janeiro. Foto: ABr/Marcello Casal Jr.
O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, anunciou nesta segunda-feira (1) o general brasileiro Ajax Porto Pinheiro como comandante das tropas da Missão de Estabilização da ONU no Haiti (MINUSTAH).
O general de divisão traz para esta posição mais de 20 anos de experiência militar nacional e internacional. Atualmente ele desempenha a função de vice-chefe do Departamento-geral do Pessoal do Exército brasileiro. Anteriormente, Ajax atuou como diretor de Educação Superior Militar de 2013 a 2015 e comandante da Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais entre 2012 e 2013. Ele também comandou a brigada de infantaria entre 2010 e 2012.
Ajax sucederá o general brasileiro José Luiz Jaborandy Junior, que faleceu no último dia 30 de agosto de 2015. O secretário-geral se disse “profundamente triste” com a morte prematura de Jaborandy e reafirmou o seu apreço por sua contribuição ao trabalho das Nações Unidas.
Na ONU, o general Ajax comandou o batalhão militar do contingente brasileiro da MINUSTAH e serviu como observador militar da Missão de Observação das Nações Unidas em El Salvador em 1992 e no Grupo de Observação das Nações Unidas na América Central em 1991.
O general Ajax também possui mestrado em administração de empresas da Fundação Getúlio Vargas no Rio de Janeiro. Ele nasceu em 1956 e tem três filhos.
Fonte: ONUBR

Nenhum comentário:

Postar um comentário