quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Justiça diz que R$ 292 mi da Samarco que deveriam estar bloqueados 'sumiram'


Juiz de Mariana determinou que BC bloqueie movimentações financeiras e contas da mineradora até que valor seja alcançado

REDAÇÃO ÉPOCAEstragos causados pelo rompimento da barragem da Samarco em Mariana, Minas Gerais (Foto: Felipe Dana/AP)



Justiça afirmou nesta quinta-feira (25) que apenas R$ 8 milhões de R$ 300 milhões bloqueados para ressarcir vítimas da tragédia emMariana estão em contas da Samarco, mineradora responsável por rompimentos de barragens na cidade mineira. Os outros R$ 292 milhões, segundo o juiz Frederico Esteves Duarte Gonçalves, "sumiram". O dinheiro fora bloqueado em 13 de novembro para garantir reparos dos danos às famílias afetadas.
“Em outras palavras e em português claro: a requerida [Samarco] sumiu com o dinheiro, embora, em 31 de dezembro de 2014, tivesse em seu caixa mais de dois bilhões de reais, demonstrando, desde já, que, se, no futuro, vier a ser condenada em ações indenizatórias movidas pelas vítimas do acidente, não tem mesmo disposição alguma de suportar os efeitos de virtuais cumprimentos de sentenças”, escreveu o juiz em trecho reproduzido pelo G1.
O juiz, também nesta quinta, determinou que o Banco Central bloqueie contas e movimentações financeiras da Samarco até que os R$ 300 milhões estipulados sejam garantidos. O Ministério Público Estadual argumenta em ação civil pública que 500 pessoas ficaram desabrigadas, hospedadas em hotéis e casas de parentes, e 180 edifícios foram destruídos em Bento Rodrigues, distrito mais afetado.
RCN

Nenhum comentário:

Postar um comentário