terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Detran de Brasília abusa de dinheiro das multas pra compras super motos em tempo de crise

Detran ostentação de Brasília

Frota do Detran-DF vai ganhar 14 motocicletas BMW. Custo será de R$ 648,5 mil

A frota do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF)terá o reforço de 14 motocicletas de luxo, da marca BMW. Elas custaram aos cofres públicos a quantia de R$ 648.536, ou R$ 46.324 a unidade. A previsão é de que cheguem à cidade logo depois do carnaval e, segundo o órgão, serão usadas no serviço de fiscalização e policiamento. Segundo reportagem do Correio Braziliense, para ir às compras, o Detran-DF pegou uma carona e aderiu à ata de um pregão realizado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) da Paraíba.

Questionado sobre a necessidade do modelo de luxo, o diretor de Fiscalização do órgão, Silvaim Fonseca, explicou que “é uma moto que anda em asfalto, estrada de chão ou brita. Consegue saltar obstáculos e, se precisar, passa até por escadas.” Esclareceu, ainda, que os agentes fizeram treinamento e “essas motos sobem e descem qualquer tipo de terreno. É uma moto multiuso.”

Ainda de acordo com o Detran, a adesão à ata do pregão da PRF representou uma economia de R$ 189.857,22, já que os preços pesquisados no DF eram bem mais caros do que os R$ 46.324 cobrados. A adesão é um procedimento legal, praticado pela administração pública, regulamentado pelo Decreto 7.892/2013, que trata do Sistema de Registro de Preços.

O Detran conta com 50 motociclistas, dos quais entre 20 e 30 atuam na rua. “Atualmente, as motos mais novas que nós temos vão completar três anos de uso. O ideal é que elas não ultrapassem cinco anos, por uma questão de economia, porque começam a dar um gasto maior de manutenção. Utilizamos as motocicletas diuturnamente, e pelo menos três vezes por semana elas são liberadas para fazer escolta, além de participarem de blitz, controle de trânsito de eventos e passeio ciclístico”, explicou à reportagem Silvaim Fonseca.
Segurança.

A reportagem ouviu o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Atividades de Trãnsito, Policiamento e Fiscalização (Sindetran-DF), Fábio Medeiros, que defendeu a compra de equipamentos de qualidade, em que os agentes possam trabalhar de forma segura: “Se não tiver nenhum exagero, não temos nada contra, desde que o governo tenha condições de arcar com os custos”.

O Detran é mantido com recursos da arrecadação dos serviços que presta e do pagamento de multas. Por lei, os valores referentes às multas precisam ser utilizados na área de fiscalização, operação de trânsito, engenharia e educação de trânsito.  Em 2007, para fazer a segurança dos Jogos Pan-Americanos, o Ministério da Justiça adquiriu veículos Harley Davidson ao custo de R$ 28 mil cada.
Fonte: Metrópolis

Nenhum comentário:

Postar um comentário