quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Rollemberg suspende compra de motos BMW para agentes do Detran

Mateus Rodrigues
Do G1 DF
Motocicletas da alemã BMW com adesivos do Detran do Distrito Federal; modelo começaria a circular em fevereiro (Foto: TV Globo/Reprodução)

O governador Rodrigo Rollemberg determinou nesta quarta-feira (27) a suspensão da compra de motos da marca alemã BMW pelo Detran. O órgão havia anunciado a compra de 14 motocicletas do modelo F 800 GS Adventure por R$ 648,5 mil. Cada unidade estava avaliada em R$ 46.324. Segundo o governo, o processo será revisto pela Procuradoria-Geral do DF.

Em nota, Rollemberg disse que é preciso "observar as características dos veículos bem como os valores investidos, tendo em vista a atual crise financeira do Distrito Federal" (leia íntegra no fim desta reportagem).

O governador diz ter solicitado ao Detran justificativas técnicas para a compra, e determinado a suspensão após analisar o material e ouvir especialistas. O departamento terá que reavaliar as especificações da frota, seguindo os "princípios de austeridade e economicidade".

Fotos enviadas à TV Globo por Whatsapp nesta terça (26) mostram que as motos já estavam na capital federal e com os adesivos de identificação do Detran. O diretor de Policiamento e Fiscalização do departamento, Silvain Fonseca, afirmou que o prazo de entrega ia até o fim de fevereiro, mas a corporação esperava utilizar as novas máquinas já no Carnaval.

G1 entrou em contato com o Detran para confirmar a suspensão e questionar o que será feito a partir de agora, mas não recebeu retorno até a publicação desta reportagem. As 14 motocicletas seriam usadas para substituir modelos antigos, com mais de 5 anos de uso, que já saíram de circulação.

A frota é composta por 38 motos, mas está rodando com 24 por causa dessa "aposentadoria". Os veículos iriam substituir a frota de Honda CB 600 F Hornet, que saiu de linha em 2014. O GDF não informou se pretende comprar outro modelo.

Segundo o Detran, as motos que precisam de reposição têm "as mesmas características básicas da BMWs que foram compradas". Reportagem do G1 publicada nesta terça mostrou que, na prática, os veículos têm perfis, recomendações de uso e especificações técnicas bem diferentes.

Motocicletas da alemã BMW com adesivos do Detran do Distrito Federal; modelo começa a circular em fevereiro (Foto: TV Globo/Reprodução)

Menor preço

O Detran afirmou ter usado uma ata de registro de preços feita pela Polícia Rodoviária Federal da Paraíba (PRF-PB) no ano passado. Segundo a PRF, a ata 002/2015 fez cotação para a compra de até 300 motocicletas daquele modelo, com valor unitário de R$ 46,3 mil.
Após consulta na internet, o departamento do DF optou por "aderir à ata", procedimento que autoriza os governos a pegar carona em preços combinados por outros órgãos para garantir compras mais baratas.

A ata de registro de preços garante que o poder público possa comprar itens na medida em que eles forem necessários, mantendo o mesmo valor até o fim do contrato. "A administração não pode escolher marca, tem que escolher preço. Os valores médios de outras motos ficariam em R$ 59 mil, R$ 62 mil", diz Fonseca.

O Detran afirma que uma BMW desse modelo e com os itns de fiscalização necessários – sirene, luz intermitente, rotolight, rádio e baú – custaria R$ 59,8 mil no mercado convencional. Sem itens opcionais, a moto aparece na tabela FIPE por R$ 47.360. O órgão diz ter economizado R$ 189,8 mil em relação aos valores de mercado graças às regras da licitação.

Entre as funções desempenhadas pela PRF estão blitzes em rodovias, perseguições a suspeitos e prisões em flagrante. No site oficial, a corporação enumera crimes enfrentados diaramente pelos policiais: "tráfico de drogas, armas e pessoas, contrabando e descaminho, crimes ambientais, roubo e furtos de veículos e cargas, exploração sexual de crianças e adolescentes, entre outros".
Moto usada atualmente pelo Detran do Distrito Federal, modelo Honda CB 600 F Hornet (Foto: Detran/Reprodução)

Modelo de luxo
A BMW F 800 GS Adventure, como o nome diz, é a versão "aventureira" da montadora alemã para o motor 800 cilindradas. Vendido sob termos como "off-road" e "roadster", o modelo é pensado para rodovias e percursos fora do asfalto. Com tanque de 24 litros, oito a mais que a GS básica, também é ideal para longos trajetos e áreas remotas, mas roda menos por litro de combustível.

O modelo foi apresentado na Alemanha em 2013 como evolução da F 800 GS, que já tinha perfil de aventura. A moto tem freios ABS de série e pneus maiores, com controle de tração e suspensão eletrônica opcionais. Além de subir os meios-fios pretendidos pelo Detran, ela é capaz de subir escadas, descer ladeiras e andar com relativa estabilidade em lama ou áreas alagadas.

A Honda CB 600 F Hornet, que seria substuída, tem perfil urbano, é mais leve e tem carenagem menor, deixando expostos os itens de mecânica – é a chamada "moto naked". A BMW comprada tem carenagem maior, uma série de itens "estéticos", farol auxiliar em LED e características aproximadas de uma moto "touring", pensada para o turismo.

Concorrente mais próximo da BMW F 800 GS Adventure, a moto britânica Triumph Tiger 800 XCx foi lançada no Brasil em março, com preços a partir de R$ 45.390 – quase R$ 3 mil a menos que a "rival" (veja infográfico). O modelo de entrada da Triumph, 800 XR, tem perfil aventureiro e custa ainda menos: a partir de R$ 37.990.

Leia a íntegra da nota divulgada pelo governador Rollemberg:

"O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, determinou a suspensão da compra das 14 motocicletas para o Departamento de Trânsito (Detran). Segundo o governador, é preciso observar as características dos veículos bem como os valores investidos, tendo em vista a atual crise financeira do Distrito Federal.

Durante agenda em São Paulo, ontem, o governador solicitou ao Detran as justificativas técnicas para a aquisição das motos. Na manhã desta quarta-feira, após análise do material e das considerações de especialistas sobre a possibilidade de se adquirir unidades mais simples e mais econômicas, o governador decidiu pela suspensão da compra.

O processo será encaminhado para análise da Procuradoria Geral do Distrito Federal. Além disso, o Detran deverá reavaliar as especificações das motocicletas. As novas unidades terão de observar os critérios técnicos para reposição da atual frota, de forma a atender adequadamente as necessidades para fiscalização de trânsito em todo o Distrito Federal, mas também devem seguir princípios de austeridade e de economicidade."
 Fonte:G1

Um comentário:

  1. Suzuki Motos do Brasil cem anos de inovação, conheça a linha mais completa de motos do Brasil, são mais de 20 modelos. Confira nosso site.Comprar Motos

    ResponderExcluir