quinta-feira, 19 de maio de 2016

Conheça o Airbus A320, modelo do avião que desapareceu no Egito

Brasil teve tragédia com o A320 em 2007, quando 199 pessoas morreram.
Apesar dos acidentes, especialistas asseguram que ele é seguro.

Do G1, em São Paulo
O Avião que desapareceu no Egito nesta quinta-feira (19) com 66 pessoas a bordo, um Airbus A320, é uma das aeronaves mais vendidas no mundo para companhias aéreas que fazem voos de curtas e médias distâncias.
Até fevereiro de 2015, a empresa alemã Airbus já havia recebido mais de 7.597 pedidos de aeronaves da família A320, tendo entregue 3.889 deles. Em 2015, 3.660 unidades estavam em operação, diz a construtora.
Diferente de modelos da Boeing, em que o piloto tem que comandar manualmente o avião na maioria dos procedimentos, o Airbus é operado por um sistema automático chamado Fly-by-wire, tecnologia desenvolvida em 1980 e aplicada primeiramente nos modelos civis do A320. Esse sistema reduz o trabalho do piloto, monitorando os sistemas em tempo real e buscando minimizar problemas.
Veja outras características da aeronave mais abaixo.

Voo desaparecido
O avião que desapareceu no espaço aéreo egípcio fazia o voo MS804, da companhia EgyptAir, que seguia do aeroporto Charles de Gaulle (Paris) em direção ao Cairo.

A aeronave foi produzida em 2003 e levava 56 passageiros. Entre eles, estavam uma criança e dois adolescentes, além de 10 tripulantes, sendo três seguranças, de acordo com a companhia aérea.

A EgyptAir informou que equipes de investigação e de resgate iniciaram a busca pelo avião desaparecido e que mantém contato com autoridades.

Tragédias
Apesar dos acidentes, especialistas asseguram que, diante da quantidade de A320 voando, ele é um dos mais seguros. 

O avião companhia aérea da Germanwings que caiu na França em março de 2015 tinha o mesmo modelo. O voo 4U9525 seguia de Barcelona (Espanha) com destino a Düsseldorf (Alemanha), deixando 150 mortos. O copiloto alemão Andreas Lubitz, de 28 anos, acionou o mecanismo de descida do avião de maneira voluntária quando estava sozinho na cabine, segundo a promotoria francesa.
Foto feita no início deste mês em Budapeste, Hungria, mostra o avião Airbus A 320-200 da EgyptAir que desapareceu dos radares durante o voo MS804 nesta sexta-feira (19) (Foto: Andras Soos/AFP)Foto feita no início deste mês em Budapeste, Hungria, mostra o avião Airbus A 320-200 da EgyptAir que desapareceu dos radares durante o voo MS804 nesta sexta-feira (19) (Foto: Andras Soos/AFP)
O Brasil registrou uma grande tragédia aérea com Airbus A320: em 2007, um avião da TAM não conseguiu frear no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, colidindo contra um prédio da companhia do outro lado de uma avenida. 199 pessoas morreram.
Relatório do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) apontou que o avião continuou acelerando porque o piloto não puxou uma das manetes. Chovia na hora da tragédia.
Em 2006, uma aeronave do mesmo modelo caiu no Mar Negro quando se aproximava de Sochi, na Rússia, deixando 133 mortos.
A última tragédia registrada com um A320 tinha ocorrido até então em 28 de dezembro de 2014, quando uma aeronave da empresa AirAsia desapareceu no mar de Java com 162 pessoas 40 minutos depois de decolar. Gelo nos motores pode ter contribuído para a tragédia.
Fonte: g1.globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário