sexta-feira, 13 de maio de 2016

Oficiais da Aeronáutica são investigados por desvio de verba

Por: Marina Navarro Lins em
Depósito da Aeronáutica, na Avenida Brasil, em Bonsucesso
Depósito da Aeronáutica, na Avenida Brasil, em Bonsucesso Foto: Reprodução / Google Street View
Dois oficiais da Aeronáutica são suspeitos de pagarem R$ 2,1 milhões por materiais de informática jamais entregues pela empresa CEFA 3, em 2007.
A investigação do Ministério Público Federal mostra que, na época da compra, o coronel José Murilo Ramos era chefe de gabinete da Diretoria de Engenharia da Aeronáutica e Wilson Sales acumulava funções, como a de chefe da Seção de Licitações e Serviço Social.
Segundo o MPF, a licitação tem fortes evidências de direcionamento.
Além dos oficiais, são réus por improbidade administrativa os empresários Celso Fernandes de Matos e Fábio de Resende Tonassi, a CEFA 3 e o intermediário Marcelo Soares Junior.

BMW bloqueada
Os bens dos acusados foram bloqueados pela Justiça, mas a defesa dos empresários pediu a liberação dos automóveis.
Entre eles, duas BMWs importadas.
A defesa alega que os donos dos carros de luxo estão em "difícil situação financeira".
O procurador regional da República Carlos Alberto Aguiar discorda. Para ele, tais veículos não são necessários para a subsistências dos suspeitos e seu bloqueio é importante para assegurar o futuro pagamento de eventual multa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário