terça-feira, 20 de dezembro de 2016

SAI DAÍ MÁRCIA ALENCAR! Sociedade civil exige exoneração da secretária de Segurança do DF após baderna que quebrou Brasília

Para a socióloga esquerdista militante  Márcia Alencar, o tratamento de frouxidão aos baderneiros mascarados que arrebentaram com Brasília durante uma manifestação contra a PEC dos gastos, ocorrida na terça-feira passada, “foi um sucesso”. Para a sociedade civil, que ficou no prejuízo com o quebra-quebra, o governo Rollemberg foi conivente e irresponsável


Oito policiais feridos a pauladas e a pedradas, 25 carros de uma loja destruídos, monumentos públicos pinchados, ônibus incendiados, agências bancárias depredadas e bombas caseiras detonadas. Nada disse foi o suficiente para que 80 elementos mascarados, detidos e levados para uma delegacia de polícia, fossem enquadrados no artigo 20 da lei de segurança nacional.
Os mascarados contaram com o afago do governo Rollemberg e o apoio de deputados e senadores petistas, entre eles a deputada federal Erica Kokay e o deputado distrital Chico Vigilante, ambos do DF, que exerceram forte influência junto à secretária de Segurança Márcia Alencar. Os baderneiros foram liberados após terem assinado um inofensivo termo circunstanciado na delegacia de polícia.

“Lamentamos profundamente a manifestação da secretária de Segurança Pública ao afirmar que a ação da polícia foi um sucesso mesmo com oito policiais militares sangrando, vítimas das agressões sofridas pelos bandidos mascarados que foram presos e logo liberados como se destruir o patrimônio público e privado não fosse crime”, disse o presidente da Associação Comercial do Distrito Federal, Cléber Pires.

Cléber Pires disse que a falta de comando na Secretaria de Segurança Pública está estimulando uma guerra civil do povo contra o povo e que a presença do Estado é nula para conter situações como essa apesar de ser a Policia Militar uma das mais preparadas do país.
Para Cléber Pires, ninguém pode impedir qualquer tipo de manifestação popular, seja ela de cara limpa ou de cara pintada. “Quem usa cara tapada e capuz é baderneiro, é bandido e tem que ser tratado como tal”.
O dirigente da ACDF, bem como os presidentes do Sindhobar, Jael Antônio da Silva e da Abrasel, Rodrigo Freire, protocolaram um ofício nesta quarta-feira (14), no Ministério da Justiça, pedindo que seja dado auxílio às forças de Segurança do Distrito Federal. O documento aponta a “omissão da Secretaria de Segurança Pública em planejar e combater com firmeza e inteligência os atos violentos”. Pede ainda que seja disponibilizado reforço das Forças Armadas e da Força Nacional nas próximas manifestações.
Nas redes sociais, um grupo identificado como “advogadas e advogados pela democracia”, festejou a frouxidão do sistema de Segurança Pública do Distrito Federal em não ter enquadrado os baderneiros no artigo 20 da Lei de Segurança Nacional. O grupo parabeniza a senadora Gleisi Hoffman e os deputados Paulo Pimenta (PT-RS), Ana Perugini (PT-SC), Leonardo Monteiro (PT-MG), Padre João (PT-MG), Adelmo Leão (PT-MG), Carlos Zarattini (PT-SP), Glauber Braga (PSOL-RJ), Erika Kokay (PT-DF) e os distritais Ricardo Vale (PT) e Chico Vigilante (PT).

 Fonte:http://www.radardf.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário