terça-feira, 11 de julho de 2017

Desafios de uma sociedade em guerra - Liga Democrática Liberal


O Rio de Janeiro vive sua guerra diária, onde os desafios devem e podem ser enfrentados. O Partido LIGA Democrática Liberal não poderia estar de fora desse enfrentamento e, como divulgado, realizou o Forum denominado “Os Desafios de uma Sociedade em Guerra”.

Abertura do Fórum denominado "Os Desafios de uma Sociedade em Guerra" pelo Secretário Nacional do Partido LIGA Democrática Liberal, Marcos Marins.

O evento foi realizado nas dependências da Associação Brasileira de Filosofia, Rua do Riachulo 303, antiga residência do Marechal Osório, Ministro da Guerra de D. Pedro II, Patrono da Cavalaria do Exército Brasileiro, detentor do título de Marquês de Herval e Senador do Império, abrigou anteriormente o Museu do Exército. O Marechal Osório a ganhou de D. Pedro II. É uma das mais antigas casas residenciais do Estado do Rio de Janeiro, senão a mais antiga.


Os palestrantes convidados pelo LIGA e pela ABF compareceram sem ônus para os organizadores, entendem que é preciso uma mobilização da sociedade em prol dela mesma e o enfrentamento desta situação em que os políticos nos colocaram. De todo o conhecimento transmitido ficou entendido por unanimidade que a culpa de todas as mortes ocorridas neste País, pode ser creditada a ação ou omissão das canetas dos políticos e com uma certa conivência do judiciário que aparelhado, se queda à falta de responsabilidade ou até faz também parte da quadrilha. Ainda existe uma leva de Juízes capazes, idôneos e sensatos, fazendo o enfrentamento e buscando na sociedade apoio, sem o que, não há resultados.

A sociedade tem que entender que há nela uma responsabilidade intrínseca, dita pela Constituição, é justamente o que se extraí do art. 144, caput, pois a segurança pública é um dever do Estado, sendo responsabilidade e direito de todos, cuja finalidade é a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.


Convites foram enviados às três Forças Militares, como também aos órgãos de Segurança Pública do Estado e Município do Rio de Janeiro, onde ressaltamos que só a Guarda Municipal do Rio de Janeiro se fez presente com o Sub Inspetor Arimatéia representando a Inspetora Tatiana e obviamente, a sua Corporação.


Sentimos a falta do Coronel e ex comandante da PMERJ Mario Sergio que, convidados pela Academia Brasileira de Filosofia, faltou seu compromisso firmado, não comparecendo nem emitindo nenhum comunicado, o que apesar de ter sido substituído, não fez nenhuma falta no brilhante evento.


Representantes da Polícia federal, Ministério Público, Judiciário e PMERJ se fizeram presentes e colocaram a verdade bem diferente do que as mídias televisivas e escritas insistem em mostrar. Entre o certo e o duvidoso, não fica duvida de que os profissionais sérios envolvidos na questão devem cada vez mais serem mostrados e ouvidos, esclarecendo que a sociedade, ainda carente da informação, deve também se manifestar provida da verdade que o evento traz. Em reportagem recente onde um policial militar foi morto numa tentativa de assalto, vimos estarrecidos uma "repórter" dizer: "bandido atirou para se defender" do policial. Ora, então é esse o entendimento que querem jogar na sociedade, quando a verdade é ao contrário?
 

A matança de policiais não é contra a pessoa do agente de segurança é contra a sociedade é contra a população, é uma demonstração terrorista de que a sociedade está indefesa diante da marginalidade, mostrando a fragilidade das Forças de Segurança que são alvos frágeis tão logo identificados seus agentes numa ação de roubo. Nossos “representantes” que não mais nos representam, têm a obrigação, o dever de emitir leis sérias, leis que endureçam as penalidades contra os terroristas diários protegidos por também TERRORISTAS que se encontram “eleitos” pela sociedade indefesa.
Aproveitamos a vinda do nosso Presidente do LIGA Rio Grande do Norte, Ricardo Caxangá, para sua diplomação no cargo que hoje ocupa com desenvoltura, tendo colocado o seu Estado como líder na coleta de assinaturas de apoiamento.


A PMERJ poderia ter enviado um representante como fez a Guarda Municipal do Rio de Janeiro, mas infelizmente, mesmo convidada, não compareceu. Diversos questionamentos importantes poderiam ter sido esclarecidos, já que o domínio político da Corporação é cada vez mais visível, citado, comentado e questionado. Só pudemos observar foi um "agente infiltrado" com a intenção de coleta de informações sobre o evento e possível "caguetação" de seus componentes convidados pelo Partido LIGA Democrática Liberal, como cidadãos desta sociedade, a participar. O político de hoje nos causa repulsa e nosso pensamento é renovação, renovação que cedo ou tarde estará presente nos rumos da sociedade e da PMERJ.
Hoje a PMERJ retrocede duas décadas. Já não vemos viaturas novas e em abundancia nas ruas, o policiamento é precário. Voltamos a presenciar policiais empurrando suas viaturas, a "bagulhar" os ferro velhos em busca de peças usadas que possam ser reaproveitadas. Os pátios das Unidades Operacionais se abarrotam de viaturas inservíveis, sucatas sendo canibalizadas para que outras sejam recuperadas. Como a duas décadas atrás, os atuais comandantes também se silenciam diante disso e, quando não houver nem a metade do numero de carros necessários à operacionalidade de sua OPM, não saberão responder quando indagados sobre o aumento da criminalidade em sua área de atuação. Aliás, saberão mas mentirão. 

O evento conseguiu manter um público presente de 80 pessoas e flutuante de mais de 400, já que as pessoas escolheram o palestrante que queriam ouvir, como também foram nove horas de evento num dia de semana. 

Mais de 60% dos eleitores são de direita, mas destes 40% invalida seu voto por não comparecimento, anulando ou votando em branco. Ai dizem que as urnas são fraudadas! Pode ser, mas fraudáveis entre eles mesmos, ou acham que dentre os candidatos em todos os níveis nos apresentam ou nos é apresentado um que tenha boas intenções? Não, é um jogo onde um dá tapinha nas costas do outro, mesmo sendo adversários político.


Marcelo Machado, Presidente Nacional do Partido LIGA e Luis Mauro Ferreira Gomes, Coronel FAB, da Academia Brasileira de Defesa.

E preparem-se! Estão ávidos por dinheiro, seja legal ou ilegal para as próximas eleições. Desde o inicio desta jornada Já com trinta anos, o tráfico cresceu assustadoramente, os assaltos a carros fortes e caixas eletrônicos também. Suas fontes de renda são inesgotáveis enquanto formos só observadores e não interferirmos neste processo destruidor.


As Mulheres no LIGA. Com a presença e organização delas, nossos eventos alcançam o sucesso que se espera.

A intervenção somos nós que devemos fazer, com um Partido decente, honesto, sem vicio político e manifestadamente apoiado pela totalidade da direita deste País que até hoje estava carente de um Partido realmente representativo. LIGA, não mais um Partido, mas sim o único de Direita expresso em seu Estatuto, de onde não pode se afastar.
É tempo de se ligar no LIGA!

Site do Partido LIGA

Nenhum comentário:

Postar um comentário